Hackathon de Carreiras ajuda candidatos a conquistar vaga no mercado

Mais de 7 mil inscritos, 500 selecionados para a primeira etapa e 200 pessoas classificadas para o pitch final. Esses são alguns números do primeiro Hackathon de Carreiras do Brasil, que aconteceu nos dias 17 e 19 de agosto, em Curitiba (PR). O evento, uma maratona de 12 horas ininterruptas de workshops, preparação de currículos, dinâmicas, entrevistas e desenvolvimento de novas competências para o mercado de trabalho atual, foi promovido pela Pós-Graduação da Universidade Positivo.

Voltado a profissionais que estão no último ano da Graduação ou já concluíram o Ensino Superior, o Hackathon teve o objetivo de promover o contato de candidatos pré-selecionados com recrutadores de 200 vagas em mais de 30 organizações de Curitiba. “As empresas confiaram em nossa capacidade de atrair talentos que elas sozinhas não conseguiriam. É uma forma de abrir um canal de comunicação com o mercado de contratação, via universidade, que facilita o acesso a candidatos pré-selecionados”, explica o diretor-geral da Pós-Graduação da Universidade Positivo, David Forli.

Mas o Hackathon foi muito além desse recrutamento. “Foi uma maratona mesmo. Os 500 participantes pré-selecionados tiveram cursos e palestras que os prepararam para qualquer seleção no restante de suas carreiras. Mesmo os candidatos que não foram escolhidos para participar da seleção receberam feedback individual sobre seu perfil de carreira. Algo único”, conta.  Segundo ele, esse feedback após o pitch foi muito elogiado pelos candidatos. “Não é comum esse retorno individualizado para cada desempenho, mas no Hackathon os candidatos receberam um feedback essencial para norteá-los ao longo de sua trajetória profissional”, explica.

De acordo com Forli, dos 200 selecionados, mais de 150 já saíram com entrevistas agendadas na sede da empresa. “Esses candidatos estão mais próximos ainda da vaga dos sonhos e agora, ao final do evento, estamos satisfeitos, pois cumprimos o nosso objetivo inicial de conectar pessoas às empresas e, acima de tudo, exercemos nosso papel social enquanto instituição de ensino”, comemora.